DOENÇAS CÁRMICAS E ENFERMIDADES

DOENÇAS CÁRMICAS E ENFERMIDADES

CONSELHOS VOZ DA CONSCIÊNCIA

Doenças cármicas e enfermidades

 

Doenças cármicas são enfermidades trazidas de outras existências como consequência de danos físicos cometido contra qualquer ser vivente ou a si mesmo. O carma físico envolve não apenas carmas de mortes por meios diretos ou indiretos, mas também carmas de ordem sexual, mental ou emocional. Consequentemente estas enfermidades estão presentes no nosso DNA e plasmado nos nossos registros akáshicos que abrangem tudo o que ocorreu, ocorre e ocorrerá com cada um de nós. As informações dos Registros Akáshicos só serão dadas a uma pessoa quando ela estiver predisposta a trabalhar a cura destes padrões kármicos e sua parcela do planeta.
As doenças cármicas poderão se manifestar na atual existência dependendo do grau de reincidência ou do comprometimento da alma no carma envolvido. Tem se observado que na maioria das manifestações das doenças cármicas além do carma envolvido há indícios de obsessões de velhos desafetos que fazem eclodir no físico a manifestação destas enfermidades.
É muito comum mulheres com carmas de sucessivos abortos em outras encarnações serem acometidas por enfermidades no útero na atual existência o que as impedem de se tornarem mães. E quando isso ocorre o espírito escolhido para reencarnar como filho é o feto abortado em outras existência o que passa então a genitora a sofrer na grande maioria dos casos de ataques energéticos de mágoa, rancor ou vingança do espírito rejeitado. Conjuntamente atuam também neste processo carmico influências umbralinas e/ou espíritos obsessores que alimentaram o espírito da mãe de culpa e/ou medo decorrente do ato cometido.
Caso, entretanto, tenha a mãe e o filho em comum acordo pré-reencarnatório escolhido passarem pela experiência da gestação, ela poderá gerar um filho com deficiências físicas que o colocará na dependência dos cuidados da mãe enquanto viverem. Com certeza este filho também carrega um pesado fardo de carma físico a resgatar para escolher purgar suas faltas em uma existência através de uma deficiência física. Tudo está em ressonância no universo dentro dos parâmetros da justiça divina. Geralmente o carma físico envolve atos contra a vida de outros em outras encarnações.
Este carma pode ter sido individual ou coletivo. Um exemplo de carma coletivo é o do participante da inquisição católica que na idade média espalhou o terror pelo mundo, torturando e matando judeus, muçulmanos, bruxas, homossexuais ou quem se atrevesse a pensar diferente. Consequentemente sofrerá por muitas encarnações de problemas e perseguições de toda ordem em nível físico e espiritual até que seu carma seja transmutado.
O carma sexual além da morte por estupro também abrange magias sexuais com o intuito de manipular alguém por meio de práticas ocultas com objetivos pré-determinados. Na grande maioria dos casos o praticante destas magias permanece em freqüência com regiões umbralinas ligadas ao vale do sexo que dividem com o magista o prazer auferido da satisfação sexual com a “pretensa” vitima. Esta frequência poderá se estender por várias encarnações. É muito comum que neste tipo de vinculação e freqüência ocorra a transmissão de doenças venéreas e viróticas que funcionam como um chip das entidade astrais.
O carma mental induz em especial à perseguição mental da pretensa vítima. Desejos de vinganças, ódio, rancor e todo tipo de atrocidades a nível mental são emanadas pelo opressor com o intuito de destruir alguém por algo que se considera injustiçado. Neste caso é muito comum sendo o campo obsessor de forte atuação a nível mental causar inúmeros problemas a vitima como por exemplo, depressão, vazio interior, disfunções físicas e indução ao suicídio. Neste caso o opressor cria energias e formas chamados de Elementais.
Elementais são cargas ou frequências de energia mental e emocional emitida a partir de pensamentos e sentimentos, podendo assumir qualquer forma dependendo da vibração e intenção da fonte criadora do mesmo. Existem muitos elementais negativos formatados há séculos pelas nossas experiências dentro da matrix da manipulação, os quais se encontram arraigados na nossa alma e por conseqüência no nosso DNA. Alguns exemplos: raiva, ódio, inveja, ciúmes, medo, culpa, fanatismo, maldições, entre outros. Um elemental está formado pelas mesmas matérias e substâncias do Universo e por conseqüência pode adquirir vida própria e criar inúmeros prejuízos a vitima. Qualquer uma dessas ondas emitida por alguém para uma vítima, que possua a mesma codificação, poderá ser afetada por estarem vibrando na mesma freqüência ou se possuir inconscientemente esse tipo de elemental com ela estando às mesmas induzidas no mesmo carma mental.
O carma emocional além da morte por motivos passionais também envolve perseguições emocionais a vitima objeto da cobiça o que poderá gerar problemas de toda ordem a nível emocional e físico tanto a vítima quanto ao algoz por sucessivas encarnações. Aqui também entra os elementais que funcionam em nível de sentimentos sendo sua energia propulsora.
Consequentemente seja uma doença cármica de origem físico, mental, emocional ou sexual ela atuará até que o padrão cármico gerador da enfermidade seja transmutado. Para que a enfermidade seja totalmente desvinculada do padrão do DNA e dos registros akáshicos da alma em questão a cura deverá ser estendida a todos os níveis de consciência ou vidas co-relacionadas a vida atual onde a enfermidade foi detectada tendo em vista que quando a doença cármica é desencadeada no corpo físico na atual existência “acorda” todas as vidas co-relacionadas à existência atual que também desenvolveram a mesma doença.
E a frequência destas vidas se mantém ativa na consciência atual recebendo todos os sintomas da doença mesmo que a cura seja aparentemente conquistada na atual encarnação. Quando a doença cármica não é tratada a nível cármico a medicina ortodoxa poderá eliminar apenas a doença na parte física afetada, sendo que a mesma poderá ser ativada a qualquer momento se a causa que deu origem a doença não for tratada.
A doença advém na maioria das vezes da culpa agravada no inconsciente da alma que se sente em débito com o divino. Este mecanismo faz parte da lei cósmica e a todos é estendida. A lei da causa e efeito. Entretanto o carma negativo só se mantém ativo enquanto a alma não escolher o caminho da cura que envolve transmutar os padrões cármicos negativos e perdoar os antigos e atuais desafetos que cruzam mais uma vez a sua linha de destino. Negar este caminho é manter-se preso as frequências de medo e dor e consequentemente se tornar responsável pela própria sorte. Orai e vigiai.
Maiana Lena

energia boa

Enfermidades Espirituais

 

As enfermidades espirituais podem produzir distúrbios no corpo físico, pelo processo conhecido como somatizações, tendo como causa desarmonias psíquicas próprias do enfermo e/ou da influência exercida por entidades espirituais. As somatizações da primeira categoria indicam disfunções congênitas, traumas físicos e ou psicológicos. Os distúrbios da segunda categoria revelam a possibilidade de processos obsessivos de variada expressão. Ambos os fatores, somatizações e obsessões podem, porém, estar associados.
As enfermidades espirituais são, então, didaticamente categorizadas como de baixa, média ou de alta gravidades. É importante, contudo, considerar que o apoio de familiares e amigos é imprescindível; o auxílio espírita, associado ao médico/psicológico, sempre que se fizer necessário, são outros meios capazes de reverter situações desafiantes. Mas, sobretudo, a fé em Deus e em Jesus, assim como a confiança nos Espíritos protetores têm efeito inestimável, capaz superar obstáculos aparentemente intransponíveis.
As enfermidades espirituais de baixa gravidade são mais fáceis de serem controladas. Costumeiramente surgem em momentos específicos da existência, quando a pessoa passa por problemas ou provações marcantes: perdas afetivas ou materiais; doenças físicas; insucesso profissional, separação conjugal, etc. São situações nas quais as emoções afloram, gerando diferentes tipos de dificuldades: ansiedade, angústia, medo, dores físicas, como ósseas, musculares, enxaquecas, etc; distúrbios de digestão (náuseas, cólicas, azia, má absorção alimentar etc.). São comuns alterações do sono, da atenção e do controle emocional.
Tais Essas condições podem desaparecer espontaneamente, se o indivíduo já possui valores morais firmes e demonstra comportamentos positivos perante a vida (esforço de autodomínio e capacidade de superação de conflitos). Contudo, tal quadro pode permanecer por tempo indeterminado ou agravar, sobretudo se há doença física e/ou psíquica subjacente. O hábito da prece, o evangelho no lar, o passe representam valorosos instrumentos de auxílio, estimulando a pessoa a elevar o seu padrão vibratório. A mudança de padrão vibratório favorece a sintonia com benfeitores espirituais, os quais prestam assistência imediata, necessária ao reajuste psíquico, emocional e físico. A pessoa recupera, então, as rédeas sobre si mesma, desligando-se de ideias perturbadoras, próprias ou de outrem.
As doenças espirituais de média gravidade podem prolongar-se por anos a fio, mantendo-se dentro de um mesmo padrão ou evoluindo para algo mais sério. Com o passar do tempo, desenha-se um quadro típico de algum tipo específico de distúrbio, que pode estar associado a outro, por exemplo: insônia persistente; gastrite e ulceração gástrica; infecções microbianas repetidas; crises alérgicas costumeiras; dores musculares penosas, formadoras de nódulos ou pontos de tensão; dificuldades respiratórias seguidas das desagradáveis “falta de ar”; hipertensão; obesidade ou magreza; crises de enxaqueca prolongadas, não controláveis ou parcialmente controláveis por medicamentos; humor claramente afetado, oscilante, determinando crises de irritabilidade e impaciência incomuns, seguidas de momentos de indiferentismo e submissão emocionais; episódios depressivos repetidos que podem ser substituídos por euforia exagerada. O enfermo pode desenvolver comportamentos que evidenciam “manias” e isolamento social: as suas idéias e os seus desejos ficam como que girando dentro de um círculo vicioso, favorecendo a criação de ideoplastias e de formas-pensamento, alimentadas pela própria vontade do indivíduo e por Espíritos desencarnados,sintonizados nesta faixa de vibração.
As enfermidades espirituais classificadas como graves, são encontradas em pessoas que revelam perdas da consciência. A perda da consciência, lenta ou repentina, pode estar associada a uma causa fisiológica natural (velhice) ou a patologias, como lesões cerebrais de etiologias diversas, uso de substancias psicoativas, legais e ilegais. Neste contexto, o enfermo vive períodos de alheamentos ou de alienações mentais, alternados com outros de lucidez. São episódios particularmente difíceis, pois a pessoa passa a viver numa realidade estranha e dolorosa, agravada quando o enfermo associa-se a outras mentes enfermas, encarnadas ou desencarnadas, estabelecendo processos de simbioses espirituais.
As orientações espíritas, se aceitas e seguidas, proporcionam imenso conforto, podendo reduzir ou eliminar o quadro geral das perturbações, sobretudo se associada às ações médicas e ou psicológicas, e, também, à assistência familiar. Assim, é preciso desenvolver um persistente trabalho de renovação mental e comportamental da pessoa necessitada de auxílio. A prece, o passe, a água fluidificada (magnetizada), a reunião do Evangelho no lar, a assistência espiritual (atendimento e diálogo fraterno, frequência às reuniões de explanação do Evangelho e de irradiações espirituais), o estudo espírita, entre outros, representam instrumentos de auxílio e de renovação psíquica, disponibilizados pelas Casas Espíritas, em geral.
Mesmo se o doente estiver sob atendimento médico especializado, no campo da psiquiatria, a fluidoterapia espírita suavizará a manifestação da doença, tornando mais efetivo o tratamento médico. A assistência espiritual, oferecida pela Casa Espírita, age como bálsamo, minorando o sofrimento dos encarnados – doente, familiares e amigos – e dos desencarnados envolvidos na problemática. O atendimento ao Espírito perturbador ocorrerá nas reuniões de desobsessão, sem a presença do enfermo encarnado.
As enfermidades espirituais representam uma realidade impossível de ser ignorada, especialmente nos tempos atuais, que sabemos da existência de um alerta superior que nos aponta para a urgente necessidade de avaliarmos a nossa própria conduta moral, desenvolvendo ações e atitudes compatíveis com a Lei de Amor, Justiça e Caridade. As enfermidades espirituais deixarão de existir, esclarecem os benfeitores espirituais, quando nos renovarmos para o bem. Nesse sentido, são oportunas as elucidações do Espírito André Luiz:
A […] enfermidade, como desarmonia espiritual […] sobrevive no perispírito. As moléstias conhecidas no mundo e outras que ainda escapam ao diagnóstico humano, por muito tempo persistirão nas esferas torturadas da alma, conduzindo-nos ao reajuste. A dor é o grande e abençoado remédio. Reeduca-nos a atividade mental, reestruturando as peças de nossa instrumentação e polindo os fulcros anímicos de que se vale a nossa inteligência para desenvolver-se na jornada para a vida eterna. Depois do poder de Deus, é a única força capaz de alterar o rumo de nossos pensamentos, compelindo-nos a indispensáveis modificações, com vistas ao Plano Divino, a nosso respeito, e de cuja execução não poderemos fugir sem graves prejuízos para nós mesmos (¹)
Referência Bibliográfica
(¹) XAVIER, Francisco Cândido. Entre a terra e o céu.
Pelo Espírito André Luiz. 5.ed. Rio de Janeiro: FEB, 1972. Cap. 22, p. 134.

mediúnico

ESPIRITISMO E ENFERMIDADES

 

PARTE I: CIÊNCIAS E DOENÇAS
Baseando-se nos informes da Organização Mundial de Saúde, temos que: SAÚDE é o estado de completo bem-estar físico, mental, psíquico e social do indivíduo e DOENÇA é a falta ou pertubação da saúde.
As doenças têm por causa os agentes:
– químicos (fatores climáticos, físicos e químicos)
– biológicos (insetos vetores e riscos de contágio, bactérias, vírus e parasitas; alterações genéticas e degenerativas)
– psicossociais (fatores ambientais, psíquicos e sociais)
São fatores básicos para a manutenção da saúde (da normalidade funcional e equilíbrio orgânico): a resistência orgânica e a resistência natural, as quais se relacionam com as funções nutritivas, imunitárias, mecanismo de adaptação, funções psíquicas. Quanto às doenças, são de diferentes tipos: Cromossômicas, auto-imunes, degenerativas, genéticas, hereditárias, infecciosas, mentais, parasitárias, metabólicas.
PARTE II: ORIGEM ESPIRITUAL DAS DOENÇAS
“As doenças fazem parte das provas e vicissitudes da vida terrena, são inerentes à grosseria da nossa natureza material e à inferioridade do mundo que habitamos.” (Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo). Sem desprezar nem contrariar as afirmativas da ciência, a Doutrina Espírita complementa nossos conhecimentos sobre saúde e doença com informações e esclarecimentos espirituais. Assim, ficamos sabendo:
– que a doença tem origem espiritual, decorre do estado evolutivo do ser e nunca acontece por acaso;
– que podemos enfermar por ação fluídica;
– o que devemos fazer para prevenir, superar ou como suportar a enfermidade.
DOENÇAS HEREDITÁRIAS
“As paixões e excessos de toda ordem semeiam em nós germes malsãos, às vezes hereditários.” (Allan Kardec). Quando herdamos uma doença, é por que:
– temos ligação espiritual anterior com os membros desta família;
– ou precisamos dessa situação como expiação;
– ou é uma prova para que sejamos levados a conhecer o problema e procurar solucioná-lo, ou aprender a suportá-lo, testemunhando fé, paciência, resignação.
DOENÇAS CONTAGIOSAS
Neste caso, permanecemos neste meio onde estas doenças se incidem também por necessidade de prova ou expiação, e temos no caso predisposição para o contágio em virtude de fragilidade em nosso perispírito ou por atos infelizes em anteriores existências.
ENFERMIDADES POR AÇÃO FLUÍDICA
“Sendo o perispírito dos encarnados de natureza idêntica à dos fluidos espirituais, ele os assimila com facilidade, como uma esponja se embebe de um líquido. Esses fluidos exercem sobre o perispírito uma ação tanto mais direta quanto, por sua expansão e irradiação, o perispírito com ele se confunde. Atuando esses fluidos sobre o perispírito, este, a seu turno reage sobre o organismo material com que se acha em contato molecular.” (Allan Kardec/ A Gênese)
* Por ação própria: pensando, sentindo, agindo, influímos sobre os fluidos do nosso perispírito e os efeitos fatalmente atingirão o corpo físico.
* Por influência de outros: é pelos fluidos que emanamos que atraímos os bons ou maus espíritos, os quais influenciarão com os seus sobre nós.
Em ambos os casos, podemos verificar que somos nós os únicos responsáveis pelo equilíbrio ou desequilíbrio energético de nossos corpos.
PARTE III: ENFERMIDADE E PREVENÇÃO
Quando nos perturbamos ou desequilibramos física ou espiritualmente de modo intenso e demorado, ocorre:
– desgaste fluídico, onde se consome muito fluido vital e não conseguimos produzir outros suficientes para se renovar.
– produzimos fluidos densos, mórbidos, doentios, onde estes maus fluidos se acumulam no perispírito e, aos poucos, são filtrados para as células do corpo físico, podendo levar um órgão, sistema ou aparelho a lesão ou mal funcionamento.
– quebra da resistência natural, o organismo fica mais exposto à eclosão de enfermidades ou a contraí-las do exterior.
“… o número de enfermidades essencialmente orgânicas, sem interferências psíquicas, é positivamente diminuto… A maioria das moléstias procede da alma, das profundezas do ser.
… quantas enfermidades pomposamente batizadas pela ciência médica não passam de estados vibratórios da mente em desequilíbrio.
… qualquer desarmonia interior atacará naturalmente o organismo em sua zona vulnerável. Um experimentar-lhe-á os efeitos no fígado, outro, nos rins e, ainda outro, no próprio sangue.
Em tese, todas as manifestações mórbidas se reduzem a desequilíbrio esse cuja causa repousa no mundo mental.” (Emmanuel , Vinhas de Luz, cap. CLVII)
Saúde é, principalmente, uma questão de manutenção do equilíbrio fluídico e doença, tem origem espiritual, nesta ou em vidas passadas.
É imprescindível cuidar do corpo físico, cultivar bons pensamentos e sentimentos, praticar o bem sempre.
“Se Deus não houvesse querido que os sofrimentos corporais se dissipassem ou abrandassem em certos casos, não teria posto ao nosso alcance meios de cura. A esse respeito, a sua solicitude, em conformidade com o instinto de conservação, indica que é dever nosso procurar esses meios e aplicá-los.” Allan Kardec
“Se, porém, mal grado aos nossos esforços não o conseguirmos, devemos suportar com resignação os nossos passageiros males. Lembremo-nos de que as lesões e chagas, frustrações e defeitos em nossa forma externa são remédios da alma que nós mesmos pedimos à farmácia de Deus.” (Emmanuel Seara dos Médiuns).

O AMOR É CIÊNCIA