paz scheilla

Justo Busques a Felicidade como Ideal de Vida – Irmã Scheilla

scheilla espírita

 DENTRO DE TI

 

Justo busques a felicidade como ideal de vida.
Entretanto, não a procure apenas fora de ti.
Olha para dentro e descobrirás inúmeros fatores que podem te conduzir à plenitude.
Tua inteligência pode construir;
Tua generosidade pode reerguer;
Tua bondade pode consolar;
Tua tolerância pode apaziguar.
Experimenta vitalizar estas virtudes e encontrarás a felicidade porque, quem já aprendeu a construir, reerguer, consolar e apaziguar, aproxima-se naturalmente de Deus.
E, quem segue com Deus, caminha com a felicidade imperecível.

 

Scheilla

vontade scheilla

Mensagem recebida na reunião mediúnica da Fraternidade Espírita Irmã
Scheilla em 05 de março de 2015

Resguarda-te na prece

 

Quando a tristeza chegar, deixando os teus dias mais escuros e o teu coração pesado, resguarda-te na prece.
Quando as dificuldades te parecerem grandes demais e te sentires a ponto de sucumbir, resguarda-te na prece.
Quando a saudade apertar o teu coração, fazendo-o sangrar de dor, resguarda-te na prece.
Quando o dia te parecer difícil de vencer, quando as horas demorarem a passar, resguarda-te na prece.
Quando tudo te parecer contrário à time o pensamento de que Deus te esqueceu vier, resguarda-te na prece.
Quando tudo for luz, a alegria tomar conta do teu coração e te achares o mais venturoso dos Homens, busca a prece.
Resguarda-te na prece em todos os momentos de tua vida.
Faz dela uma companheira diária e fiel.
Lembra-te da conexão com Deus, com a Divindade, que se inicia dentro de cada um.
Não se pode prescrever fé. Não se pode doar a outrem uma conquista que é intransferível, pessoal e única.
Cada um, no seu momento, passará pelo despertamento. Geralmente através da dor. Não porque o Pai seja punitivo. Mas porque ainda estamos na infância espiritual, onde precisamos, necessitamos mesmo das ferramentas dolorosas para avançarmos e não estagnarmos na nossa própria prepotência de supor saber o que é melhor para nós mesmos.
O que hoje te parece um desafio difícil, mais tarde servirá de escudo valoroso a te livrar de dores maiores ou até proteger da tempestade que por ventura chegará.
Quando todos te virarem as costas e não acreditarem em ti, resguarda-te na prece.
Quando os teus familiares, os teus mais caros amores te incompreenderem na escolha da fé, resguarda-te na prece.
Através da prece sentirás a doce presença do teu espírito-guia a te emanar consolações, inspirações, ânimo.
Através da prece alcançarás o caminho seguro que te levará ao mundo venturoso que Deus promete aos seus escolhidos.
E os escolhidos são aqueles que perseveram na fé, apesar de todas as contrariedades, apesar do mundo te parecer duro e ingrato, apesar de toda dor e desamor que faceias todos os dias, se persistires na fé terás forças para renovar a tua morada. Para conhecer um mundo novo, venturoso, cheio de esperanças, de fraternidade e de harmonia.
Por isso, resguarda-te na prece seja qual for a situação que te encontres.
Se conseguires alcançar esse hábito salutar, te perceberás mais forte, poupado de dissabores inúteis, de inimigos oportunistas e com uma força interior que nada poderá abalar.
Lembra-te, resguarda-te na prece.
Que Nosso Senhor Jesus Cristo abençoe os teus propósitos de renovação e de evolução.

 

Muita paz.
Com amor,
Irmã Scheilla

pratica do bem scheilla

ALEGRIA

IRMÃ SCHEILLA

 

 

Esta irmã tão querida! Espírito de Luz a espalhar por toda parte seu perfume, seu imenso amor, seu carinho!
Antes de colocar aqui a mensagem desta amiga de todos nós, vamos pesquisar um pouco de seu possível passado e tentar entender como espíritos tão abnegados como esta irmã, conseguiram, vida a vida, angariar sua luz.
Não há para o Criador diferença entre seus filhos, não existem privilégios nem tampouco favorecimentos de qualquer ordem, não. Todos são criados da mesma forma, com igualdade de condições. O que há sim, segundo o que aprendemos, é um trabalho intenso de cada um em se melhorar intimamente, para conquistar através deste trabalho, a sua própria evolução.
Muito pouco se sabe sobre irmã Scheilla, mas no meio espírita, (Anuário Espírita) circula que tenha sido ela no Séc. XVI, Joana Francisca Frémiot. Nascida em Dijon a 23 de Janeiro de 1572.
Abaixo, uma representação dela aos 30 anos de idade, naquela época.
Joana Francisca Frémyot de Chantal
“Joana Francisca tinha uma inteligência viva, um reto e sólido juízo, caráter firme, além de prudência e discrição.
Casou-se com o jovem Barão de Chantal. Desde sua chegada ao castelo do esposo, demonstrou sua habilidade na administração das propriedades, fazendo-as mais produtivas que antes. Foi mãe de seis filhos. Os dois primeiros morreram ao nascer. Enfim, após três ou quatro anos de casamento ela dá à luz o seu primogênito Celso Benigno, nascendo a seguir Maria Amada, Francisca e Carlota.
Assume em todo o momento o seu papel de mulher, dedicada à educação de seus filhos e às obras de caridade.
Depois de algumas semanas do nascimento de Carlota, o barão sofre um acidente de caça e morre. Viúva aos 28 anos, apesar da sua profunda tristeza, abraça a vontade de Deus e perdoa de coração ao responsável involuntário pela morte de seu esposo.
Reparte suas jóias e vestidos de gala entre os pobres e a Igreja. A partir de então, se constitui “mãe de todos os pobres”. Acompanhada pelos filhos, visita os enfermos em suas próprias casas, leva-lhes alimentos, remédios, e ela mesma limpa e cura suas chagas e as beija, vendo a Nosso Senhor em cada um deles. Fazia estas obras de caridade com tanto esmero e carinho que todos diziam: “Que bom é estar doente, para receber a visita da santa baronesa!”
Joana pede insistentemente ao Céu um guia espiritual que lhe mostre a vontade de Deus. Ouve em seu íntimo a voz que lhe diz: “Eu te darei esse guia”.
Passa a quaresma de 1604 em casa de seu pai em Dijon. O Bispo Francisco de Sales vem a esta cidade para fazer a pregação da Quaresma. Ambos se reconhecem sem nunca se haverem visto e desde o primeiro momento se compreendem. Ela se coloca sob sua direção espiritual. Começa uma rica correspondência entre os dois: são alguns dos mais belos escritos que existem e refletem a profunda amizade entre eles. No dia 4 de junho de 1607, Francisco de Sales lhe revela o desígnio que Deus lhe havia inspirado de fundar uma nova Congregação, e ela acolhe, muito feliz e com perfeita obediência, o projeto.
Chega o momento da partida para iniciar a vida religiosa, em Annecy, Sabóia. Assim nasce a Ordem da Visitação de Santa Maria: no dia 6 de junho de 1610.
Joana Francisca sofre sucessivamente a perda dos parentes que lhe eram mais queridos. A estas dolorosas partidas se unem enfermidades, críticas e perseguições de todo o tipo. Tudo recebe e abraça com espírito de fé, vendo em tudo a vontade de Deus. É admirável em seu ardente amor a Deus.
Tendo vivido em profunda humildade, gozou de paz e serenidade constantes. Ao falecer em 13 de dezembro de 1641, às vésperas de seus 70 anos de idade, deixou fundados 87 Mosteiros. Em 1751 foi beatificada pelo Papa Bento XIV e em 16 de julho de 1767, canonizada por Clemente XIII.
Seu coração e olhos permanecem incorruptos no Mosteiro da Visitação, na cidade de Nevers, França.”
(Biografia baseada no site: www.monjasvisitandinas.com.br)
A outra encarnação conhecida foi na Alemanha, onde desencarnou em 1943 (como Scheilla). Mas sobre esta encarnação, falaremos numa próxima mensagem… O que importa é sabermos que ninguém espalha perfumes e vibrações de intensa paz, sem ter se trabalhado intensamente antes.
Esta irmã conquistou por esforço próprio e muito trabalho íntimo, toda a admiração de que hoje ela é merecedora. Imaginem fundar 87 conventos, com cerca de 6.500 religiosos!!! O quanto deve esta querida mensageira da Paz, ter, em suas anteriores encarnações, conquistado, claro que não sem lutas, dores e sofrimentos, toda esta fartura de vibrações que beneficiam a tantos de nós.
Hoje, esta mesma irmã, circula entre todos, espalhando este amor incondicional a todos sem distinção. É para pensarmos!!
A mensagem “Faze Algo”, nos leva a refletir.
Quantas vezes reclamamos por não saber o que fazer, ou reclamamos que gostaríamos de fazer algo, no campo da caridade, mas não sabemos o quê, nem como!
Achamos que caridade é somente dar algo material. É tirar o que temos de supérfluo e não queremos mais do armário e dar, e no entanto, caridade é algo muito mais amplo, muito maior!!
Todos nós, sem exceção, temos muito a oferecer, e nossa querida irmã Scheilla, tão caridosa, há muito tempo se exercitando neste campo, nos ensina como podemos ser úteis aos outros, doando-nos intimamente. Mas se não conseguimos ainda exercitar esta caridade aos outros, porque são diversas as dificuldades que temos, quem sabe devemos começar, fazendo a caridade a nós mesmos? Sim, a primeira caridade deve ser, como nos ensinam os grandes mestres da Espiritualidade, a favor de nós mesmos!

SEGUE DE BEM SCHEILLA

 

Faze Algo

 

“Não te deixes anular pelas horas vazias.
O comodismo é ponte para o remorso.
O tédio resulta da falta de iniciativa.
Ainda hoje, podes ser útil ao Bem, valendo-te dos recursos que possuis.
Uma palavra de consolo a quem sofre;
Um momento de atenção a quem experimenta o abandono;
Um simples pedaço de pão a quem tem fome.
São atitudes que podem te preencher por dentro, permitindo que alcances a plenitude interior.
Entretanto, se não te consideras em condições de ser útil aos outros, faze algo em favor de ti mesmo.
Evita o pessimismo;
Abre espaço para o estudo elevado;
Alimenta os ideais nobres;
Sintoniza com o Alto através da prece.
Lembra que a oportunidade que te sorri agora, convidando-te à paz e ao progresso, é única, cabendo a ti mesmo seguir para a felicidade ou a frustração, mediante a escolha que fizeres.”

 

Extraído do Livro: Novas Mensagens
A Mensagem do Dia – Vol. 2
Médium Clayton Levy

plenitude

Mensagem recebida na reunião mediúnica da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla em
23 de outubro de 2014

Agradecimento de Irmã Scheilla

 

Oh doces criaturas irmanadas à minh’alma pelo amor a Jesus! Não saberia dentro da minha humilde posição de serva do Cristo como agradecê-los por esse imenso amor que recebo imerecidamente.
Assim como vós, meus doces irmãos, sou uma lutadora que vem através de várias encarnações tentando acertar o passo no caminho do bem, no caminho da luz.
A caridade que por ventura julgam receber de nós, somos nós meus queridos os verdadeiros beneficiados. Jesus nos deu a oportunidade de trabalhar em Seu nome, socorrendo os doentes e aflitos, iluminando as almas perdidas, levantando os caídos, porque no passado fomos nós os caídos do caminho. Fomos nós, que pela invigilância dos corações caímos nas tramas de César.
Oh, quanta alegria e quanta bondade recebo dos vossos corações! Quero dizer-lhes que nesses dias de festas, de orações e comemorações, muitos estão sendo beneficiados pelas luzes que emanam dos corações festivos. Corações agradecidos ao amor do Cordeiro de Deus que cobre os pecados da multidão com doçura e fraternidade.
Quanto contentamento oh irmãos queridos! Em ouvir o canto que sai das bocas de todos vós, com a beleza das músicas que elevam a alma, que trazem esperança,que irmanam corações. Após o cerrar das portas físicas dessa Casa de Serviço ao Senhor, ainda podemos sentir as vibrações dos corações a cantar em agradecimento às benesses do Pai!
As flores, meus queridos, sentem essa vibração e exalam o perfume da paz, da harmonia e do amor. Muitos se encontram aqui.
Mães ao encontro dos seus filhos, filhos ao encontro de suas mães, amores por hora afastados pelo vaso físico que impede alguns de ver e a outros de serem vistos. Mas o amor, o sentimento mais sublime que existe no mundo, a tudo supera.
E mesmo através do véu que encobre os olhos, mesmo através de um corpo que não consegue ser tátil, os seres amados se encontram, percebem a presença doce e amorosa de alguém que o quer tão bem, e aquele que partiu, que transitoriamente permanece sem o corpo físico, sente nas fibras mais íntimas da alma os corações que ficaram a emanar boas lembranças, recordações e saudades.
Esse é o propósito culminante desses momentos meus queridos. Não só promover a auto-iluminação, a caridade e a fraternidade dentro da casa espírita. Não só socorrer aos irmãos em sofrimento desse e do outro lado da vida. Mas promover o reencontro de amores, promover a troca de fluidos salutares e benefícios para ambos os lados da vida.
Se essa Casa cresce a cada dia é porque corações devotados e irmanados no amor do Cristo se uniram para ajudar a formar este posto que hoje atende a milhares de irmãos desencarnados e centenas de irmãos encarnados.
Que os vossos corações, tão cheios de boa vontade e amor, continuem nos auxiliando nessa difícil tarefa que o Cristo, o Pescador de Almas, nos confiou.
Juntos, unidos pelo amor ao próximo e pela misericórdia divina, um dia conseguiremos alcançar a paz.

 

Obrigada. Muito obrigada.
Com amor da Irmã sempre presente,
Irmã Scheilla

SAUDADES


Comentários

Os comentários realizados nesse site não são armazenados em nosso banco de dados e podem ser excluídos diretamente na página da postagem.
*Note que para excluir o comentário será necessário encontrá-lo, clicar na caixa ao lado em seguida no botão excluir... Observando que só será possível excluir o comentário se o usuário estiver logado na mesma conta utilizada na hora que efetuou o comentário.

Política de Privacidade

Qualquer dúvida visite nossa Política de Privacidade: http://www.verdadeluz.com.br/politica-de-privacidade/