Nunca Alguém tão Grande se fez tão Pequeno

GRANDES E PEQUENOS

 

GRANDES E PEQUENOS

 

Nunca alguém tão grande se fez tão pequeno
para tornar grandes os pequenos.
Augusto Cury

ACREDITE

Algumas preocupações…

 

Mas sempre com a força da vida e do Autor da vida!
“Liberdade é ser você sem a permissão de ninguém!”
Há dons que estão implícitos no ato de viver. A liberdade acompanha a existência. O viver só se torna pleno se a liberdade for a parceira de todos os momentos. A autonomia e a construção da identidade supõem liberdade.
Para ser livre não há necessidade da permissão de ninguém. Basta dar espaço e a liberdade se adequa. Para ampliar os horizontes, a liberdade necessita marcar presença. Os sonhos adquirem formato sob o olhar atento da liberdade.
Muitas pessoas limitam a liberdade, outras se tornam prisioneiras de si próprias. Não faz bem deixar que a liberdade seja furtada. Ninguém pode violar esse dom incalculável que permite navegar em outros mares, experimentar outros sabores, invadir diversos espaços, avançar determinados limites.
A liberdade instiga o que está no mais profundo do existir. É a responsável pela leveza da vida e por um sentir que foge das explicações. A própria identidade só se edifica com o aval da liberdade. Não aguarde pela permissão dos outros. Ser livre é parte do processo de humanização.
A beleza do existir aguarda pelo toque da liberdade. A plenitude é um chamado que supõe uma resposta livre e coerente. Enquanto houver alegria é porque a liberdade continua tendo um espaço no coração das pessoas.

 

Bênçãos! Paz e Bem! Santa Alegria. Abraço!

 

Frei Jaime Bottega

DESAPEGA

Convite ao Desprendimento

 

“Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões penetram e roubam…” (Mateus: capítulo 6º, versículo 19.)
Desprendimento na qualidade de desapego, não de estroinice nem dissipação.
Todo e qualquer motivo que ata à retaguarda sob condicionamentos retentivos se transforma em cadeia escravizante.
Os objetos a que o homem se apega valem os preços que lhes são emprestados, constituindo-se elos a impedirem o avanço do possuidor, na direção do futuro…
Desapego, portanto, em forma de libertação do liame pessoal egoístico e tormentoso que constitui presídio e patíbulo para quem se fixa negativamente como para aquele que se faz sua vítima afetiva.
Libertar-se das aflições constritivas, asfixiantes, para marchar com segurança.
Doa com alegria quanto possas, generosamente.
O que distribuis com equilíbrio e lucidez multiplica-se, o que reténs reduz-se.
Abundância, como excesso engendram miséria e loucura.
Distende assim, mão generosa na alfândega da fraternidade, mas libera-te da emotividade desregrada, da posse afetuosa a objetos, animais e pessoas, porqüanto mais carinhos que te mereçam, mais devoção que lhes dês, chegará o dia de atravessares o portal do túmulo, fazendo-o em soledade, livre de amarras ou jungido ao que se demorará, a desgastar-se pela ferrugem, pelo azinhavre, corroído ou simplesmente em trânsito por outras mãos ante a tua tormentosa impossibilidade de reter e interferir.

 

FRANCO, Divaldo Pereira. Convites da Vida. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL. Capítulo 12.

IMAGEM POR DENTRO CHICO XAVIER

Comentários

Os comentários realizados nesse site não são armazenados em nosso banco de dados e podem ser excluídos diretamente na página da postagem.
*Note que para excluir o comentário será necessário encontrá-lo, clicar na caixa ao lado em seguida no botão excluir... Observando que só será possível excluir o comentário se o usuário estiver logado na mesma conta utilizada na hora que efetuou o comentário.

Política de Privacidade

Qualquer dúvida visite nossa Política de Privacidade: http://www.verdadeluz.com.br/politica-de-privacidade/