O AMOR É UMA EMOÇÃO PROFUNDA QUE MERECE CONSIDERAÇÕES

377185

O AMOR !

 
“O amor é uma emoção profunda que merece
considerações especiais, caracteriza-se por valores
significativos… Ele inspira a amizade sem mescla,
o apoio incondicional, o respeito contínuo,
a dedicação integral, porque tem um significado
importantíssimo para a existência humana.”

Vera Jacubowski

CARDS2041

INTUIÇÃO E INSPIRAÇÃO

Abordaremos hoje, meus amigos, um dos recursos mais utilizados pela espiritualidade, para auxiliar no desenvolvimento moral dos seres. Mas assim como em outros aspectos, esse é apenas um instrumento, pois o exercício do livre arbítrio é respeitado sempre.

Iniciamos questionando o que é intuição?

Recorrendo a etimologia da palavra temos que se origina do latim « in tueri», cujo significado é olhar, ver em, contemplar. O que nos possibilita concluir rapidamente que intuição é um conhecimento que possuímos dentro de nós, adquirido de nossas diversas experiências através das reencarnações ou mesmo proveniente do eu Crístico que nos habita. Por isso sábios já diziam que tudo o que precisamos saber, na verdade está dentro de nós.

E o que é inspiração?

Inspiração vem também do latim «inspiratio» composto pelo sufixo «in» o qual significa dentro e do verbo «espinare» o qual significa respirar.
Concluímos então como sendo um sopro. De forma mais elaborada, inspiração é o ato de se deixar influenciar pelo pensamento (energia, sintonia) de outro (encarnado ou desencarnado).
Tanto a intuição como a inspiração por si só não possuem caráter moral.
Mas o que faremos com isso é que determinará sua qualidade moral.
Nas atribulações do dia a dia, raramente paramos para consultar nossas intuições, ainda mais quando exigem uma mudança de postura. Dependendo dos vícios que trazemos nossas intuições podem nos conduzir a atitudes que não são convenientes numa postura de crescimento intelectual, social e espiritual. O mesmo ocorre com a inspiração que está diretamente ligada a companhia, que atraímos de acordo com nossos pensamentos.
A espiritualidade, dentro do conceito de que somos todos médiuns e ainda sabendo que todos trazem em estado latente o eu Crístico, usa desses instrumentos (intuição e inspiração) para nos auxiliar no progresso.
Mas como perceber? Ou ainda como avaliar se essa inspiração é um auxílio ou um meio de retardar nossa evolução?
Primeiramente precisamos entrar em contato conosco, conhecendo bem as nossas limitações e nossos pontos fortes. Depois precisamos estar vigilantes em pensamento principalmente, para que não nos deixemos que se estabeleçam ligações fluídicas baseadas em nossas fraquezas e estagnemos.
Daí vem à importância de procurarmos leituras e conhecimentos edificantes, bem como locais e companhias de pessoas que nos auxiliem nesse desenvolvimento.
Após se faz necessário, o silenciar a mente, o coração, buscando a sintonia com nossos mentores espirituais que estão sempre ao nosso lado para nos auxiliar com as ferramentas necessárias para o aprendizado.
Reparem que colocamos ferramentas e não soluções, visto que a solução, ou seja, a ação depende de cada um. Não é possível, como já salientamos diversas vezes que façam por nós as mudanças necessárias nem o trabalho (missão) que nos compete.
E além da vigilância dos pensamentos buscando os ensinamentos de Jesus.
E quando mencionamos isso, não estamos dizendo que é preciso decorar o evangelho, mas simplesmente aplicar o conceito de Amor, estendendo-o ao outro, da mesma forma e intensidade que gostaríamos que fosse aplicado a nós. Tudo o que contrariar essa verdade, não nos levará ao crescimento.
Como podem ver meus amigos, temos a disposição instrumentos valiosos e uma lei muito simples de ser aplicada para confirmar a veracidade das informações, o que falta é a nossa vontade em coloca-los em prática.
Nesta semana os convido a atenderem a voz de seu Crístico, das
experiências vividas que esperam a oportunidade de se consolidarem através da prática. Escutem os benfeitores que «sopram nos ouvidos» inspirações para a construção segura do caminho na seara do bem.
Sejamos meus amigos, a concretização das ações do Amor de Jesus ao planeta Terra, através da união da intuição com a inspiração.

Com muito carinho,

Médium: Lúcia (Grupo Mediúnico Maria de Nazaré – CAVILE)
Espírito: Irmão Matheus (Colônia Espiritual Maria de Nazaré)

CARDS1995

 

Livro da esperança — de Chico Xavier por Emmanuel

Capítulo 46

Moeda e trabalho

“Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.” — JESUS (Mateus, 25.14)
 
“Os bens da Terra pertencem a Deus, que os distribui a seu grado, não sendo o homem senão o usufrutuário, o administrador mais ou menos íntegro e inteligente desses bens.” — Cap. XVI, 10
1 Se muitos corações jazem petrificados na Terra, em azinhavre de sovinice, fujamos de atribuir ao dinheiro semelhantes calamidades.
2 Condenar a fortuna pelos desastres da avareza, seria o mesmo que espancar o automóvel pelos abusos do motorista.
3 O fogo é companheiro do homem, desde a aurora da razão, e por que surjam, de vez em vez, incêndios arrasadores, ninguém reclamará do mundo o disparate de suprimi-lo.
4 Os anestésicos são preciosos auxiliares de socorro à saúde humana, mas se existem criaturas que fazem deles instrumentos do vício, ninguém rogará da ciência essa ou aquela medida que lhes objetive a destruição.
5 A moeda em qualquer forma é agente neutro de trabalho, pedindo instrução que a dirija.
6 Dirás provavelmente que o dinheiro levantou os precipícios dourados da vida moderna, onde algumas inteligências: se tresmalharam na loucura ou no crime, comprando inércia e arrependimento a peso de ouro, contudo é preciso lembrar as fábricas e instituições beneméritas que ele garante, ofertando salário digno a milhões de pessoas.
7 É possível acredites seja ele o responsável por alguns homens e mulheres de bolsa opulenta, que espantam o próprio tédio, de país em país, à feição de doentes ilustres, exibindo extravagâncias na imprensa internacional, entretanto é forçoso reconhecer os milhões de cientistas e professores, industriais e obreiros do progresso que a riqueza nobremente administrada sustenta em todas as direções.
8 A Divina Providência suscita amor ao coração do homem e o homem substancializa a caridade, metamorfoseando o dinheiro em pão que extingue a fome.
9 A Eterna Sabedoria inspira educação ao cérebro do homem e o homem ergue a escola, transfigurando o dinheiro em clarão espiritual que varre as trevas.
10 Não censures a moeda que será sempre alimento da evolução. Reflete nos benefícios que ela pode trazer.
11 Ainda assim, para que lhe apreendas todo o valor, se queres fazer o bem, não exijas, para isso, o dinheiro que permanece na contabilidade moral dos outros. 12 Mobiliza os recursos que a Infinita Bondade te situa retamente nas mãos e, ainda hoje, nalgum recanto de viela perdida, ao ofertares um caldo reconfortante às mães infortunadas que o mundo esqueceu, perceberás que o dinheiro, convertido em cântico fraterno, te fará ouvir a palavra de luz da própria gratidão, em prece jubilosa.
“Deus te ampare e abençoe.”
Emmanuel

Na Vida…

Não te queixes de ninguém. Todos estamos lutando. Esse enfrenta problemas afetivos. Aquele sofre limitações. Outro caminha vacilante.
Na vida, quem compreende sabe mais. Faze o melhor que possas, esquecendo ingratidões.
Serve, perdoa e avança, olvidando injúrias. Elege o bem por teu escudo e deixa que as pedras da maledicência caiam à tua volta. Se procuras Jesus, não tens tempo a perder com os acontecimentos marginais da estrada.

Irmão José – Francisco Cândido Xavier e Carlos A.Baccelli

O ORGULHO E O EGOÍSMO

“O orgulho e o egoísmo são verdadeiras chagas da humanidade.
Para dominar estas más inclinações na nossa vida, só conseguiremos abrindo nossa mente para a importância
de espiritualidade em nós.”
Vera Jacubowski

Comentários