Que nosso dia seja de Luz – Bom Dia Almas Lindas

alegria chico xavier
Que nosso dia seja de Luz

Que nosso dia seja de Luz

 

O espetáculo da vida universal mostra-nos por toda parte o esforço da inteligência para conquistar e realizar o belo.
Do fundo do abismo da vida o ser aspira e sobe em direção ao infinito das concepções estéticas, à ciência divina, à perfeição eterna, onde reina a beleza perfeita.
O esplendor do universo revela a inteligência divina, assim como a beleza das obras de arte terrestres revela a inteligência humana!
O objetivo essencial da arte, já dissemos, é a busca e a realização da beleza; é, ao mesmo tempo, a busca de Deus, uma vez que Deus é a fonte primeira e a realização da beleza física e moral.
 
Na Terra é através do pensamento, escrito ou oral, que se comunica a fé e que instruem os homens.
No espaço, porém dizem-nos nossos guias, a música é a expressão sublime do pensamento divino.

 

Léon Denis

OS ESPÍRITOS LÉON DENIS

Bênçãos e maldições

 

572. A missão de um Espírito lhe é imposta, ou depende da sua vontade?
“Ele a pede e ditoso se considera se a obtém.”
a) – Pode uma igual missão ser pedida por muitos Espíritos?
“Sim, é freqüente apresentarem-se muitos candidatos, mas nem todos são aceitos.”

0572/LE

ESCOLHA DA MISSÃO

 

Certamente que o Espírito tem liberdade de pedir para vir à Terra com tal ou qual missão, mas nem sempre isto lhe será concedido, porque geralmente ele não sabe o que pede. Somente Deus, o Criador de todas as coisas, conhece as necessidades de todos nós e nos dá o que na realidade nos convém. O mais inteligente é passar a saber dos benfeitores espirituais qual a tarefa que nos convém desempenhar no mundo.
Nem todos os Espíritos podem escolher suas missões; muitas das vindas das almas pelo processo da reencarnação são impostas. Quantos abusam da liberdade que lhes é dada, depois desejam voltar à carne do modo que entendem, mas isso não se dá. Os mentores espirituais, encarregados das programações das vidas sucessivas, sabem avaliar, ajudando o reencarnacionista em uma escolha proveitosa, de sorte que o candidato à volta melhore moralmente suas condições espirituais.
As atuais dificuldades da volta do Espírito aos fluidos da carne, causadas pelos processos humanos anticoncepcionais, a pílula, o DIU e outros meios variados que a ciência humana descobre, Deus a permite para disciplina das almas, mostrando a elas que devem fazer bom uso quando recebem o prêmio de uma volta ao corpo físico.
Nós, que trabalhamos na esfera da Terra, e tu, que nela moras, internado em um corpo material, estamos passando por provas. O ciclo se encontra fechando, e o desfecho está atingindo o ápice, de maneira que, a qualquer hora, pode acontecer algo de assustar os que alimentam o erro e levam a vida envolvidos em paixões inferiores.
A medicina na Terra carrega um peso nos ombros, de enfermidades sem conta, que não são debeladas pelos seus métodos de cura. Quanto mais aprimora as suas linhas de curar, mais desafios surgem, exigindo dela, certamente, um retorno aos caminhos da natureza enquanto e tempo, pois a mãe Terra tem todos os recursos para ajudar aos homens que se encontram em busca do equilíbrio espiritual.
Mas, não se pode esquecer Jesus; somente Ele pode, pelos poderes que Deus Lhe confiou, pelos canais da natureza pura, despertar os Espíritos para a luz da santidade, em rumos para a moralidade. Ninguém pode enganar a Deus, pois Ele está em toda parte, registrando tudo que se passa e canalizando as leis para onde achar mais conveniente, sendo as duas leis principais: Justiça e Amor.
Voltando à pergunta inicial, não queremos dizer que o Espírito não deve pedir; ele pode fazê-lo, entretanto, aconselhamos compreender a vontade de Deus, para pedir com sabedoria a volta à carne, em missão que lhe possa engrandecer. Lembremo-nos sempre que toda subida requer esforço e dor, sacrifício e lágrimas. As dificuldades em reencarnar, na época que atravessamos, são muitas, no entanto, onde estivermos, seja na carne ou fora dela, façamos o bem do modo que aprendemos a fazer. Oremos do modo que Jesus nos ensinou, que o desespero desaparecerá e alegremo-nos onde nos encontrarmos, porque onde nasce o amor, aí é que está o Céu, aí é que estão Deus e Cristo.
A Doutrina dos Espíritos, que o nosso irmão maior coordenou na Terra e deu o nome de Espiritismo, nos favorece muitos meios, métodos variados de compreendermos como devemos trabalhar, mas, primeiramente dentro de nós, conhecendo a verdade, e nesse seguimento aparecerá em nós o sol da Divindade. Depois de despertados por Cristo, temos a liberdade de pedir com consciência.
Miramez

missão dos espíritos ALLAN KARDEC

Façamos Nossa Luz

 

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens.” – Jesus. (MATEUS, capítulo 5, versículo 16.)
Ante a glória dos mundos evolvidos, das esferas sublimes que povoam o Universo, o estreito campo em que nos agitamos, na Crosta Planetária, é limitado círculo de ação.
Se o problema, no entanto, fosse apenas o de espaço, nada teríamos a lamentar.
A casa pequena e humilde, iluminada de Sol e alegria, é paraíso de felicidade.
A angústia de nosso plano procede da sombra.
A escuridão invade os caminhos em todas as direções. Trevas que nascem da ignorância, da maldade, da insensatez, envolvendo povos, instituições e pessoas. Nevoeiros que assaltam consciências, raciocínios e sentimentos.
Em meio da grande noite, é necessário acendamos nossa luz. Sem isso é impossível encontrar o caminho da libertação. Sem a irradiação brilhante de nosso próprio ser, não poderemos ser vistos com facilidade pelos Mensageiros Divinos, que ajudam em nome do Altíssimo, e nem auxiliaremos efetivamente a quem quer que seja.
É indispensável organizar o santuário interior e iluminá-lo, a fim de que as trevas não nos dominem.
É possível marchar, valendo-nos de luzes alheias. Todavia, sem claridade que nos seja própria, padeceremos constante ameaça de queda. Os proprietários das lâmpadas acesas podem afastar-se de nós, convocados pelos montes de elevação que ainda não merecemos.
Vale-te, pois, dos luzeiros do caminho, aplica o pavio da boa-vontade ao óleo do serviço e da humildade e acende o teu archote para a jornada. Agradece ao que te ilumina por uma hora, por alguns dias ou por muitos anos, mas não olvides tua candeia, se não desejas resvalar nos precipícios da estrada longa!…
O problema fundamental da redenção, meu amigo, não se resume a palavras faladas ou escritas. É muito fácil pronunciar belos discursos e prestar excelentes informações, guardando, embora, a cegueira nos próprios olhos.
Nossa necessidade básica é de luz própria, de esclarecimento íntimo, de auto-educação, de conversão substancial do “eu” ao Reino de Deus.
Podes falar maravilhosamente acerca da vida, argumentar com brilho sobre a fé, ensinar os valores da crença, comer o pão da consolação, exaltar a paz, recolher as flores do bem, aproveitar os frutos da generosidade alheia, conquistar a coroa efêmera do louvor fácil, amontoar títulos diversos que te exornem a personalidade em trânsito pelos vales do mundo…
Tudo isso, em verdade, pode fazer o espírito que se demora, indefinidamente, em certos ângulos da estrada.
Todavia, avançar sem luz é impossível.

 

XAVIER, Francisco Cândido. Caminho, Verdade e Vida. Pelo Espírito Emmanuel. 28.ed. Brasília: FEB, 2009. Capítulo 180.

sofrimento chico xavier

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *