Tenha Fé e Energia Acredite Você Pode Tudo que Quiser Perdoe.!

TENHA FÉ E ENERGIA ACREDITE

PERDOAI PARA QUE DEUS VOS PERDOE

 

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia”. (Mateus,V:7)
“Se perdoardes aos homens as ofensas que vos fazem, também vosso Pai celestial vos perdoará os vossos pecados. Mas se não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai vos perdoará os vossos pecados.” (Mateus, VI: 14-15)
“Se teu irmão pecar contra ti, vai, e corrige-o entre ti e ele somente; se te ouvir, ganho terás o teu irmão.”
Então, chegando-se Pedro a ele, perguntou: “Senhor, quantas vezes poderá pecar meu irmão contra mim, para que eu lhe perdoe ? Será sete vezes?”
Respondeu-lhe Jesus: “Não te digo que até sete vezes, mas que até setenta vezes sete vezes.” (Mateus, XVIII: 15, 21 e 22.)
Misericórdia, segundo o dicionário Houais: “sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça, acompanhado do desejo ou da disposição de ajudar ou salvar essa pessoa; dó, compaixão, piedade. Ato concreto de manifestação desse sentimento, como o perdão; indulgência, graça, clemência.”
Kardec declara que “a misericórdia é o complemento da mansuetude, pois os que não são misericordiosos também não são mansos e pacíficos.”
Com vemos, as virtudes se mesclam, umas originando outras, completando-se, até o Espírito ser capaz de amar a qualquer outro, como a si mesmo, porque, então, vivenciará, naturalmente, as leis divinas que o Mestre Jesus ensinou e exemplificou.
O misericordioso se apieda, se condói, dos sofrimentos alheios, buscando auxiliá-los, mas também pratica esse sentimento, no perdão às ofensas, quando esse perdão vem da compreensão das fraquezas humanas, dos sentimentos frustrados, da necessidade de ser amado, que todos nós temos dentro de nós.
Quem perdoa de pronto, irradiando vibrações amorosas ao ofensor, já traz dentro de si uma elevação espiritual muito acentuada. Esta é a meta, culminando em não se sentir ofendido.
Todavia, a maioria dos que já conseguem perdoar as ofensas, em nosso mundo, os que já têm essa vontade de assim agir, conseguem assim fazer, com o consentimento da razão e do coração, através de um grande esforço.
Ainda estão inseridos no processo do desenvolvimento das qualificações nobres e assim devem continuar, pedindo sempre a proteção divina para não esmorecer.
Muitos há que nem sequer cogitam da necessidade do perdão para a tão desejada felicidade.
Por isso, Kardec afirma que o esquecimento das faltas alheias, como conseqüência do perdão, “é próprio das almas elevadas, que pairam acima do mal que lhe quiseram fazer”, sendo, então, calmas, mansas e caridosas.
As pessoas que não desejam perdoar, ou pensam ser impossível fazê-lo, são sem elevação e sem grandeza. Por isso, são inquietas, “de uma sensibilidade sombria e amargurada”, infelizes, portanto.
Quando Jesus declarou a Pedro que se deve perdoar setenta vezes sete vezes, declarou ser a misericórdia sem limites, sem condições.
Kardec cita duas maneiras de perdoar. Uma, generosa, sem segunda intenção, que evita humilhar o ofensor, tratando-o com delicadeza, com sinceridade, minimizado a sua má ação , demonstrando compreendê-lo como pessoa humana, filha de Deus, em processo evolutivo.
O exemplo maior desse perdão está com Jesus, sendo crucificado, numa morte considerada a mais infamante, como se fora um dos piores inimigos dos homens, dizendo: “Perdoai-lhes Pai, porque não sabem o que fazem.”
A outra maneira é perdoar com exigências, sob condições humilhantes, realçando a falta do outro e a sua generosidade.
Esse perdão, nada tem com o perdão ensinado por Jesus, por ser apenas uma maneira de satisfazer o orgulho do que se julga ofendido.
Perdoar, misericordiosamente, é olhar para o ofensor, afastando de si a mágoa, ou ressentimento, auxiliá-lo se e quando houver oportunidade, como se faz com uma pessoa querida.
“Perdoai para que Deus vos perdoe”, é o título dos comentários de Kardec, lembrando-nos que todos nós, Espíritos imperfeitos, sujeitos a erros, enganos e omissões, precisamos aprender a perdoarmo-nos, mutuamente, a fim de que Deus nos possa perdoar, dando-nos novas chances de reparação desses erros, enganos e omissões.
Por enquanto, vamos tentando perdoar como podemos, no esforço de fazer o melhor, mantendo, porém, a meta a ser alcançada, ou seja, não precisar perdoar, por não se sentir ofendido.
Leda de Almeida Rezende Ebner

ALMA

Renovemo-nos Dia a Dia

 

“…Transformai-vos pela renovação de vossa mente, para que proveis qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Paulo (Romanos, 12:2)
Não adianta a transformação aparente da nossa personalidade na feição exterior.
Mais títulos, mais recursos financeiros, mais possibilidades de conforto e maiores considerações sociais podem ser simples agravo de responsabilidade.
Renovemo-nos por dentro.
É preciso avançar no conhecimento superior, ainda mesmo que a marcha nos custe suor e lágrimas.
Aceitar os problemas do mundo e superá-los, à força de nosso trabalho e de nossa serenidade, é a fórmula justa de aquisição do discernimento.
Dor e sacrifício, aflição e amargura, são processos de sublimação que o Mundo Maior nos oferece, a fim de que a nossa visão espiritual seja acrescentada.
Facilidades materiais costumam estagnar-nos a mente, quando não sabemos vencer os perigos fascinantes das vantagens terrestres.
Renovemos nossa alma, dia a dia, estudando as lições dos vanguardeiros do progresso e vivendo a nossa existência sob a inspiração do serviço incessante.
Apliquemo-nos à construção da vida equilibrada, onde estivermos, mas não nos esqueçamos de que somente pela execução de nossos deveres, na concretização do bem, alcançaremos a compreensão da vida, e, com ela, o conhecimento da “perfeita vontade de Deus”, a nosso respeito.
XAVIER, Francisco Cândido. Fonte Viva. Pelo Espírito Emmanuel. FEB. Capítulo 107.

AMIZADE

Questão 258 – Escolha das Provas

258. Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?
“Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.”
a) – Não é Deus, então, quem lhe impõe as tribulações da vida, como castigo?
“Nada ocorre sem a permissão de Deus, porquanto foi Deus quem estabeleceu todas as leis que regem o Universo. Ide agora perguntar por que decretou Ele esta lei e não aquela. Dando ao Espírito a liberdade de escolher, Deus lhe deixa a inteira responsabilidade de seus atos e das conseqüências que estes tiverem. Nada lhe estorva o futuro; abertos se lhe acham, assim, o caminho do bem, como o do mal. Se vier a sucumbir, restar-lhe-á a consolação de que nem tudo se lhe acabou e que a bondade divina lhe concede a liberdade de recomeçar o que foi mal feito. Demais, cumpre se distinga o que é obra da vontade de Deus do que o é da do homem. Se um perigo vos ameaça, não fostes vós quem o criou e sim Deus. Vosso, porém, foi o desejo de a ele vos expordes, por haverdes visto nisso um meio de progredirdes, e Deus o permitiu.”
KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 76.ed. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1995.

HOMEM INFALÍVEL ALLAN KARDEC

Frases da Hora

Continua trabalhando.
Não reclames.
Atenção em tudo.
Cultiva o essencial.
Nada critiques.
Auxilia para o bem.
Perdoa sempre.
Espera construindo.
O passado orienta.
O futuro promete.
Hoje é o dia de fazer o melhor.
XAVIER, Francisco Cândido. Agora é o Tempo. Pelo Espírito Emmanuel. IDEAL.

CADA UM ALLAN KARDEC

Vida Feliz LXIX

Ser pai ou mãe é uma grande responsabilidade.
Cada criatura traz o destino que organizou para si mesma em reencarnações passadas. No entanto, ela nunca deixará de assimilar os exemplos vividos no lar pelos pais.
A primeira escola é, pois o lar, e este, por sua vez é o resultado da conduta dos esposos que se devem esforçar para fazê-lo agradável, honrado e rico de paz.
Abençoa o teu filho com as tuas palavras e conduta, fazendo-te amigo dele em todas as situações.
Os filhos, como todos nós, somos de Deus, e prestarás conta do empréstimo que te foi concedido para educar.
FRANCO, Divaldo Pereira. Vida Feliz. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. 18.ed. LEAL, 2015. Capítulo 69.

AMOR ESPERANÇAS

O Livro Espírita

Cada livro edificante é porta libertadora.
O livro espírita, entretanto, emancipa a alma, nos fundamentos da vida.
*
O livro científico livra da incultura; o livro espírita livra da crueldade, para que os louros intelectuais não se desregrem na delinqüência.
O livro filosófico livra do preconceito; o livro espírita livra da divagação delirante, a fim de que a elucidação não se converta em palavras inúteis.
O livro piedoso livra do desespero; o livro espírita livra da superstição, para que a fé não se abastarde em fanatismo.
O livro jurídico livra da injustiça; o livro espírita livra da parcialidade, a fim de que o Direito não se faça instrumento de opressão.
O livro técnico livra da insipiência; o livro espírita livra da vaidade, para que a especialização não seja manejada em prejuízo dos outros.
O livro de agricultura livra do primitivismo; o livro espírita livra da ambição desvairada, a fim de que o trabalho da gleba não se envileça.
O livro de regras sociais livra da rudeza de trato; o livro espírita livra da irresponsabilidade que, muitas vezes, transfigura o lar em atormentado reduto de sofrimento.
O livro de consolo livra da aflição; o livro espírita livra do êxtase inerte, para que o reconforto não se acomode em preguiça.
O livro de informações livra do atraso; o livro espírita livra do tempo perdido, a fim de que a hora vazia não nos arraste à queda em dívidas escabrosas.
*
Amparemos o livro respeitável, que é luz de hoje; no entanto, auxiliemos e divulguemos, quanto nos seja possível, o livro espírita, que é luz de hoje, amanhã e sempre.
O livro nobre livra da ignorância, mas o livro espírita livra da ignorância e livra do mal.
Xavier, Francisco Cândido. Pelo Espírito Emmanuel. Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier em reunião pública da Comunhão Espírita Cristã, em Uberaba (MG), na noite de 25 de fevereiro de 1963. Publicado na revista “Reformador”, da Federação Espírita Brasileira, de abril de 1963.

CARIDADE POR DEVER

Ante o Livro Espírita

Melhore as suas aquisições, buscando algo novo. Mas compre o livro espírita que conduzirá seu caminho a mais alta renovação.
*
Ampare a escola que alfabetiza. Mas sustente o livro espírita que educa.
*
Consulte o noticiário, com respeito aos sucessos do mundo. Mas ouça o livro espírita, a fim de erguer-se a horizontes mais vastos.
*
Compareça nas obras de socialização e progresso. Mas ajude o livro espírita na consolidação da verdadeira fraternidade.
*
Brinde o companheiro com a novidade do dia. Mas dê-lhe o livro espírita que é valor para toda hora.
*
Aconselhe a utilização dos produtos que favoreçam a saúde e o asseio do corpo. Mas divulgue o livro espírita que mantém o equilíbrio e a higiene da alma.
*
Observe o cinema, o rádio, a televisão e as outras formas de arte, buscando conhecer. Mas atenda o livro espírita que ensina discernir.
*
Prestigie os métodos da lavoura e as técnicas da indústria, o comércio e as obras coletivas, tanto quanto os outros campos de ação e produção. Mas estimule o livro espírita que ilumina o trabalho.
*
Socorra esse ou aquele irmão caído, entre as sombras da prova. Mas ofereça-lhe o livro espírita que aclara o entendimento.
*
Enriqueça o ambiente próprio com fatores diversos de conforto e alegria. Mas recorde que o livro espírita é bênção de Jesus, aprimorando a vida com você e em você.
XAVIER, Francisco Cândido. Apostilas da Vida.
Pelo Espírito André Luiz. IDE.

CARIDADE E SOLIDARIEDADE

Comentários

Os comentários realizados nesse site não são armazenados em nosso banco de dados e podem ser excluídos diretamente na página da postagem.
*Note que para excluir o comentário será necessário encontrá-lo, clicar na caixa ao lado em seguida no botão excluir... Observando que só será possível excluir o comentário se o usuário estiver logado na mesma conta utilizada na hora que efetuou o comentário.

Política de Privacidade

Qualquer dúvida visite nossa Política de Privacidade: http://www.verdadeluz.com.br/politica-de-privacidade/