ESPIRITISMO E A MISSÃO NA HUMANIDADE - Allan Kardec

ESPIRITISMO E A MISSÃO NA HUMANIDADE – Allan Kardec

ESPIRITISMO E A MISSÃO NA HUMANIDADE

allan-kardec ESPIRITISMO

 O ESPIRITISMO EM SUA EXPRESSÃO MAIS SIMPLES 

ALLAN KARDEC

Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. Deus é eterno, único, imaterial, imutável, Todo-Poderoso, soberanamente justo e bom. Deve ser infinito em todas as suas perfeições, pois se supuséssemos um único de seus atributos imperfeito, ele não seria mais Deus.

Missão do Homem Inteligente na Terra 

Allan Kardec

 

Não vos orgulheis por aquilo que sabeis, porque esse saber tem limites bem estreitos, no mundo que habitais. Mesmo supondo que sejais um das sumidades desse globo, não tendes nenhuma razão para vos envaidecer. Se Deus, nos seus desígnios, vos fez nascer num meio onde pudestes desenvolver a vossa inteligência, foi por querer que a usásseis em benefício de todos. Porque é uma missão que Ele vos dá, pondo em vossas mãos o instrumento com o qual podeis desenvolver, ao vosso redor, as inteligências retardatárias e conduzi-las a Deus.
A natureza do instrumento não indica o uso que dele se deve fazer? A enxada que o jardineiro põe nas mãos do seu ajudante não indica que ele deve cavar? E o que diríeis se o trabalhador, em vez de trabalhar, erguesse a enxada para ferir o seu senhor? Diríeis que isso é horroroso, e que ele deve ser expulso. Pois bem, não se passa o mesmo com aquele que se serve da sua inteligência para destruir, entre os seus irmãos, a ideia da Providência? Não ergue contra o seu Senhor a enxada que lhe foi dada para preparar o terreno? Terá ele direito ao salário prometido, ou merece, pelo contrário, ser expulso do jardim? Pois o será, não o duvideis, e arrastará existências miseráveis e cheias de humilhação, até que se curve diante daquele a quem tudo deve.
A inteligência é rica em méritos para o futuro, mas com a condição de ser bem empregada. Se todos os homens bem dotados se servissem dela segundo os desígnios de Deus, a tarefa dos Espíritos seria fácil, ao fazerem progredir a humanidade. Muitos, infelizmente, a transformaram em instrumento de orgulho e de perdição para si mesmos. O homem abusa de sua inteligência, como de todas as suas faculdades, mas não lhe faltam lições, advertindo-o de que uma poderosa mão pode retirar-lhe o que ela mesma lhe deu.
Allan Kardec

MISSÃO DOS ESPÍRITAS

HOMEM E SUA MISSÃO

MISSÃO DO HOMEM INTELIGENTE NA TERRA

 

INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS: ITEM 13
MISSÃO DO HOMEM INTELIGENTE NA TERRA
O autor dessa mensagem assinou Fernando, Espírito protetor e ela foi psicografada em Bordeaux, em 1862.
O princípio espiritual, imortal, criado simples e ignorante, com um imenso potencial de qualificações, tem de fazer sua evolução intelectual e moral, em mundos materiais, em um longo período, nos reinos chamados inferiores, guiados pelo determinismo divino de desenvolver-se sempre.
Quando nada mais tem a desenvolver no reino animal, torna-se um Espírito, que vai pouco a pouco , tomando consciência de si mesmo, de suas possibilidades, nas lutas pela sobrevivência.
Assim, sua inteligência vai se desenvolvendo, gradativamente, através das experiências do viver.
Evidentemente, que esse desenvolvimento se faz para que o homem evolua, aperfeiçoando-se e sendo feliz.
Todavia, como tal não aconteceu para a humanidade, como um todo, até hoje, visto que com todo o desenvolvimento espiritual , o sofrimento faz parte da vida dessa humanidade, que não conseguiu ser feliz, essa mensagem é muito atual e é dirigida, pelo seu autor ao homem inteligente da Terra.
Inicia, conclamando-o a não orgulhar-se do que sabe, considerando que o desenvolvimento da inteligência trouxe-lhe um imenso conhecimento sobre as leis que regem tanto o mundo físico como o mundo espiritual, mas ainda, conhecimento limitado pela própria condição de imperfeição pessoal e do mundo no qual vive.
E é essa própria inteligência que lhe mostra o quanto ainda não sabe em relação a ele próprio, à Terra e ao Universo.
Não deve, pois, o homem inteligente orgulhar-se do que já sabe, porque há muito mais coisas desconhecidas do que conhecidas; e esse orgulho que o faz sentir-se superior aos demais, sendo estimulado constantemente, o tem levado a entrar por atalhos, que retardam seu processo evolutivo, pelos erros e omissões, trazendo-lhe existências de grandes e atrozes sofrimentos.
A inteligência é um dom de Deus, inerente ao Espírito, desde sua criação. O fato de ser desenvolvido por ele, na sua trajetória evolutiva, não é motivo de orgulho, visto que todos os homens a estão desenvolvendo, e todos eles têm a possibilidade de continuar desenvolvendo-a, através das reencarnações.
Se nada do que se tem, ou se possui, deve ser motivo de orgulho, ser mais inteligente ou ter mais conhecimentos ou habilidades também não deve propiciar orgulho, pois a inteligência é patrimônio de todos.
Aquele que se apresenta com menos inteligência, em uma existência, pode estar em uma prova expiatória, para aprender, nas dificuldades desse viver, humildade, simplicidade e discernimento, sentindo o sofrimento que causou a outros com sua capacidade intelectual sem a moral, e retornar, numa nova, inteligente como antes, mas, mais moralizado, direcionado-a para o benefício de outros.
Pode também não tê-la bem desenvolvida, por ser um Espírito mais novo, com menos tempo de vivência na raça humana. Isso não é desdouro, pois, todos passam por isso e sempre há os que sabem mais, os mais experientes, com os quais os mais novos podem e devem aprender.
Deve sim, levar o homem inteligente a reflexões, como : – Se Deus me fez nascer ou me deu condições de viver em um meio que favoreceu meu desenvolvimento intelectual, o que Ele espera de mim ? O que Ele quer que eu faça?
O Espírito Protetor Fernando responde a essas perguntas, em sua mensagem: “ …é uma missão que Ele vos dá, pondo em vossas mãos o instrumento com o qual podeis desenvolver, ao vosso redor, as inteligências retardatárias e conduzi-las a Deus.”
Afirma o autor que a natureza do instrumento indica sempre o uso que dele se deve fazer. Faz uma belíssima comparação com a enxada do jardineiro, que serve para cavar, mas que ele pode usar para atacar seu patrão ou alguém, contrariando a finalidade do instrumento.
Assim também, o homem inteligente age contrariando a finalidade da inteligência, que é construtora, reformadora, criadora, dada por Deus a seus filhos para ser usada no seu aperfeiçoamento, e no aperfeiçoamento dos que lhe estão ao seu redor, quando é usada para destruir, provocar sofrimentos nos outros e em si mesmo.
O mundo já estaria muito melhor se a inteligência humana já estivesse aliada à moralidade – o que acontecerá, por ser um determinismo divino – se ela fosse usada sempre no bem e não no mal, para construir e não para destruir, para exaltar e não para humilhar.
Leda de Almeida Rezende Ebner
Abril / 2007
Bibliografia:
O CENTRO ESPÍRITA BATUÍRA

HUMANIDADE ALLAN KARDEC

Missão do Espiritismo

 

Buscávamos subsídios para comentários sobre a missão que o Espiritismo traz em seu conteúdo, quando nos deparamos com uma página do Grande Instrutor Espiritual Emmanuel, intitulada “Renovação” (1), e que nós outros, espíritos em evolução nesse planeta de expiação e provas, e que aspiramos um mundo melhor para se viver, deveríamos estudá-la, detidamente, em cada uma de suas frases.
Por si só a lição dispensa comentários, e por isso a transcrevemos abaixo.
“As revelações dos Espíritos convidam naturalmente a ideais mais elevados, a propósitos mais edificantes.
Para as inteligências realmente dispostas à renunciação da animalidade, são elas sublime incentivo à renovação interior, modificando a estrutura fluídica do ambiente mental que lhes é próprio.
Se a civilização exige o desbravamento da mata virgem, para que cidades educadas surjam sobre o solo e para que estradas livres se rasguem soberanas, é indispensável a eliminação de todos os obstáculos, à custa do sacrifício daqueles que se devotam ao apostolado do progresso.
A Humanidade atual, em seu aspecto coletivo, considerada mentalmente, ainda é a floresta escura, povoada de monstruosidades.
Se nos fundamentos evolutivos da organização planetária encontramos os animais pré-históricos, oferecendo a predominância do peso e da ferocidade sobre quaisquer outros característicos, nos alicerces da civilização do espírito ainda perseveram os grandes monstros do pensamento, constituídos por energias fluídicas, emanadas dos centros de inteligência que lhes oferecem origem.
Temos, assim, dominando ainda a formação sentimental do mundo, os mamutes da ignorância, os megatérios da usura, os iguanodontes da vaidade ou os dinossauros da vingança, da barbárie, da inveja ou da ira.
As energias mentais dos habitantes da Terra tecem o envoltório que os retém à superfície do Globo. Raros são aqueles cuja mente vara o teto sombrio com os raios de luz dos sentimentos sublimados que lhes fulguram no templo íntimo.
O pensamento é o gerador dos infracorpúsculos ou das linhas de força do mundo subatômico, criador de correntes de bem ou de mal, grandeza ou decadência, vida ou morte, segundo a vontade que o exterioriza e dirige. E a moradia dos homens ainda está mergulhada em fluidos ou em pensamentos vivos e semicondensados de estreiteza espiritual, brutalidade, angústia, incompreensão, rudeza, preguiça, má-vontade, egoísmo, injustiça, crueldade, separação, discórdia, indiferença, ódio, sombra e miséria…
Com a demonstração da sobrevivência da alma, porém, a consciência humana adquire domínio sobre as trevas do instinto, controlando a corrente dos desejos e dos impulsos, soerguendo as aspirações da criatura para níveis mais altos.
Os corações despertados para a verdade começam a entender as linhas eternas da justiça e do bem. A voz do Cristo é ouvida sob nova expressão na mais profunda acústica da alma.
Quem acorda converte-se num ponto de luz no serro denso da Humanidade, passando a produzir fluidos ou forças de regeneração e redenção, iluminando o plano mental da Terra para a conquista da vida cósmica no grande futuro.
Em verdade, pois, nobre é a missão do Espiritismo, descortinando a grandeza da universalidade divina à acanhada visão terrestre; no entanto, muito maior e muito mais sublime é a missão do nosso ideal santificante com Jesus para o engrandecimento da própria Terra, a fim de que o Planeta se divinize para o Reino do Amor Universal.”

Pensemos nisso.

Antônio Carlos Navarro

Referência:
1 – Roteiro — Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, Capítulo 30.

ESPÍRITAS

Comentários

Os comentários realizados nesse site não são armazenados em nosso banco de dados e podem ser excluídos diretamente na página da postagem.
*Note que para excluir o comentário será necessário encontrá-lo, clicar na caixa ao lado em seguida no botão excluir... Observando que só será possível excluir o comentário se o usuário estiver logado na mesma conta utilizada na hora que efetuou o comentário.

Política de Privacidade

Qualquer dúvida visite nossa Política de Privacidade: http://www.verdadeluz.com.br/politica-de-privacidade/