TERAPIA DO AMOR – BEZERRA DE MENEZES

bezerra de menezes

Terapia do Amor

Bezerra de Menezes

O Amor continua sendo, filhos da alma, a receita que temos a oferecer àqueles que buscam o socorro espiritual para as suas problemáticas de saúde.
Por isso podemos afirma que:
O amor aclama e dissolve as tensões.
O amor alegra e tonifica o coração.Te
O amor vitaliza e fortalece as células de defesa do organismo.
O amor traz a esperança e recupera as células esgotadas.
Somente o amor dá sentido à vida e faz com que aquele que ama tenha fortes razões para continuar vivendo através da alegria em servir ao próximo.
Recordemos as sábias palavras de Paulo, em sua carta aos Coríntios:
O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
Que excelente terapia temos às mãos, filhos, através das palavras paulinas, adequadas para todos os problemas diários.
Perseveremos no tratamento com os abnegados médicos da Terra e não nos esqueçamos também de nos tratar com Jesus, através da terapia do amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta e tudo vence.

– Bezerra de Menezes, o Médico dos Pobres.
pais e filhos

Terapia Saúde Integral

Que excelente terapia temos às mãos, filhos, através das palavras paulinas, adequadas para todos os problemas diários. Perseveremos no tratamento com os abnegados médicos da Terra e não nos esqueçamos também de nos tratar com Jesus, através da terapia do amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta e tudo vence.
As palavras sempre lúcidas do nobre espírito Bezerra de Menezes, na obra Recados do Meu Coração, de José Carlos de Luca, nos convidaram à esta reflexão em torno da nossa saúde.
O querido amigo espiritual, que como médico na Terra, conheceu tão bem as dificuldades de saúde que todos trazemos, hoje na espiritualidade, conhece mais ainda a fundo estas questões, evidenciando-nos, que nós somos os principais responsáveis pela nossa saúde ou doença. Quando nos fala da terapia do amor, está nos dando a chave do grande segredo que é o de como evitarmos, amenizarmos ou até mesmo nos curar das graves moléstias que atraímos para nós, na grande maioria dos casos, pelo nosso descuido, pelos desequilíbrios que nos permitimos, principalmente das emoções em desalinho.
Nosso organismo, nosso sistema orgânico, possui órgãos delicadíssimos totalmente sensíveis às fortes emoções que experimentamos em algum momento. Pudéssemos ver o que acontece às nossas células, quando por exemplo emitimos pensamentos de revolta, de ódio, quando alimentamos rancores, ficaríamos impressionados vendo aqueles seres pequeninos sendo bombardeados por substâncias geradas pelas glândulas endócrinas, pelas supra-renais, por exemplo, quando é gerada muita adrenalina, um hormônio simpaticomimético e neurotransmissor, que prepara o organismo para grandes esforços físicos, estimula o coração, eleva a pressão arterial, relaxando certos músculos e contraindo outros.
Tudo isso acontecendo através do pensamento mal direcionado, que cria imagens, situações hipotéticas e fantasiosas, distante muitas vezes da realidade que nos cerca, ou seja, saímos do equilíbrio que é a nossa condição natural, para nos agitarmos interiormente, pura e simplesmente porque insistimos em alimentar sentimentos que, primeiramente, só faz mal à nós mesmos.
O querido amigo, por isso nos convida ao amor, acima de tudo, pois envolvidos nesse sentimento sublime, todos o nosso corpo vibra nessas ondas suaves e continuas, como que nos colocando distantes das agressões, da loucura, dos desequilíbrios gerados por aqueles que ainda não decifraram o segredo de viver bem, de se conduzir em segurança e com fé, pois ainda não entenderam o convite do excelso homem de Nazaré, “Amai ao vosso Próximo, como a vós mesmos”.
Amar é também saber não alimentar a brasa maledicente que nos trazem, a crítica exacerbada que alguém nos faz em algum momento, ou até mesmo a indiferença de alguns em relação aquilo que representamos ou aos anseios nobres que trazemos. Não nos deixar contagiar pelo descompasso dos que ainda não sabem andar corretamente, é o melhor antídoto para evitar adoecermos também, vítimas dessa grande epidemia anônima e silenciosa, mas altamente letal, que podemos chamar de Desamor.
Deixemos passar longe de nós os dardos venenosos atirados por mentes em desalinho, doentes e que se permitem espalhar o seu próprio mal, seja nas intenções ou nas ações diretas. Ergamos o escudo protetor da compreensão superior para com as faltas desses, e utilizemos como principal arma, o bálsamo de amor, em ondas suaves e contínuas, neutralizadoras de qualquer ameaça externa ao nosso templo sagrado, erguido pelo Bom Pai.

Muita Paz.
Eduardo Martins
solidariedade viver

Comentários

Os comentários realizados nesse site não são armazenados em nosso banco de dados e podem ser excluídos diretamente na página da postagem.
*Note que para excluir o comentário será necessário encontrá-lo, clicar na caixa ao lado em seguida no botão excluir... Observando que só será possível excluir o comentário se o usuário estiver logado na mesma conta utilizada na hora que efetuou o comentário.

Política de Privacidade

Qualquer dúvida visite nossa Política de Privacidade: http://www.verdadeluz.com.br/politica-de-privacidade/