TRABALHADOR ESPÍRITA

segundo-suas-obras jesus

O que acontece quando você entra em um Centro Espírita?

 

 Sabrina

 
Quando você entra em um centro espírita, você não se torna médium. A não ser que você já tenha nascido com o corpo físico preparado para isso, você não começa a ver ou a ouvir os Espíritos.
Quando você entra em um centro espírita, não existe nenhuma espécie de recado dos Espíritos Superiores direcionado exclusivamente a você. Tampouco seus familiares desencarnados te enviarão cartas dizendo o que você deve ou não fazer da vida.
Quando você entra em um centro em espírita, as pessoas não vão te contar quem você foi ou fez em suas vidas passadas. Se essas informações fossem necessárias você se lembraria por conta própria. Basta saber que você colhe hoje aquilo que plantou em outras existências até para que você passe a semear com mais sabedoria e amor no seu dia de hoje.
Quando você entra em um centro espírita, você não recebe a solução mágica para resolver seus problemas. Suas dores continuarão a existir. Suas perdas, suas mágoas, suas dificuldades de relacionamento ou o que quer que você enfrente na vida.
Quando você entra em um centro espírita, você definitivamente não está salvo. Seu lugar no céu jamais poderá ser comprado até porque a ideia de céu do Espiritismo nada tem a ver com anjos tocando harpa nas nuvens, e sim com a consciência tranquila do dever cumprido.
A verdade, que poucos compreendem ou querem compreender, é que quando você começa a frequentar um centro espírita absolutamente nada muda em sua vida.
Acredite. Nada mesmo.
A não ser que você tome a decisão de mudar, que você compreenda que precisa realizar melhorias em si mesmo, que aceite o convite da reforma íntima e moral, tudo continuará da mesma forma que já estava.
Ninguém pode viver nossa vida ou dar por nós os passos que nos cabem. Compete a cada um de nós a construção da nossa própria felicidade. Essa noção de responsabilidade individual, tão pouco considerada nos dias atuais, é, com certeza, uma das primeiras lições, entre tantas outras, que você aprenderá quando de fato entrar em um centro espírita.

o-evangelho

O que é ser Espírita?

Ser espírita não é ser nenhum religioso; é ser cristão.
Não é ostentar uma crença; é vivenciar a fé sincera.
Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade.
Não é superar o próximo; é superar a si mesmo.
Não é construir templos de pedra; é transformar o coração em templo eterno.
Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação; é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina e caminho natural para a perfeição.
Não é só comunicar-se com os Espíritos, porque todos indistintamente se comunicam, mesmo sem o saber; é comunicar-se com os bons Espíritos para se melhorar e ajudar os outros a se melhorarem também.
Ser espírita não é apenas consumir as obras espíritas para obter conhecimento e cultura; é transformar os livros, suas mensagens, em lições vivas para a própria mudança.
Ser sem vivenciar é o mesmo que dizer sem fazer.
Ser espírita não é internar-se no Centro Espírita, fugindo do mundo para não ser tentado; é conviver com todas as situações lá fora, sem alterar-se como espírita, como cristão.
O espírita consciente é espírita no templo, em casa, na rua, no trânsito, na fila, ao telefone, sozinho ou no meio da multidão, na alegria e na dor, na saúde e na doença.
Ser espírita não é ser diferente; é ser exatamente igual a todos, porque todos são iguais perante Deus.
Não é mostrar-se que é bom; é provar a si próprio que se esforça para ser bom, porque ser bom deve ser um estado normal do homem consciente.
Anormal é não ser bom.
Ser espírita não é curar ninguém; é contribuir para que alguém trabalhe a sua própria cura.
Não é tornar o doente um dependente dos supostos poderes dos outros; é ensinar-lhe a confiar nos poderes de Deus e nos seus próprios poderes que estão na sua vontade sincera e perseverante.
Ser espírita não é consolar-se em receber; é confortar-se em dar, porque pelas leis naturais da vida, “é mais bem aventurado dar do que receber”.
Não é esperar que Deus desça até onde nós estamos; é subir ao encontro de Deus, elevando-se moralmente e esforçando-se para melhorar sempre.
Isto é ser espírita.
Com as bênçãos de Jesus, nosso Mestre.
Autor desconhecido

duros-revezes bezerra de menezes

REFERÊNCIA MAIOR

 Em Nosso Querido Mestre Jesus identificamos naturalmente a nossa Referência Maior, mas temos o direito de escolher entre tantos Espíritos iluminados, um que possamos ter como digno de nossa admiração pessoal.
Em todas as circunstâncias difíceis ou nos casos em que a nossa consciência oscila entre duas decisões a tomar, inquirimos a esse Protetor como ele faria no caso para que possamos proceder no mesmo sentido.
Assim pouco a pouco vamos construindo de acordo com esse modelo, um ideal moral que se refletirá em todos os nossos atos.
Todo ser humano como filho de Deus, reúne condições na sua humilde realidade de cada dia de modelar uma consciência sublime.
Isso só vai acontecer no decorrer de incontáveis reencarnações, porque se refere a uma obra vagarosa e difícil, mas para isso nos são concedidos os séculos a nosso favor.
Temos o dever de nos conservar no controle de nossos pensamentos, dirigindo-os por nossa única e exclusiva vontade. em direção a um ideal que sonhamos para nós mesmos.
Procuremos nos fixar nesse ideal; meditemos nele todos os dias, à hora certa e de preferência pela manhã quando tudo pode estar mais sossegado.
Façamos repousar em nós nesses momentos o que todo poeta se dispõe chamar de “Hora Divina” quando a natureza fresca e descansada acorda para as claridades do dia.
(Texto extraído do Livro “Ser, Destino e Dor” de Leon Denis).

FUGAS PSICOLÓGICAS

Uma característica muito comum, notada nos seres humanos, é a tentativa de fuga.
Muitos de nós, quando nos sentimos pressionados por circunstâncias adversas, temos a tendência natural de fugir.
Às vezes, quando se apresenta uma situação para a qual não vemos saída, gostaríamos que o chão se abrisse sob nossos pés e nos tragasse em definitivo. Mas, como isso não ocorre, tentamos fugir de várias outras formas.
Para alguns a saída é afogar as mágoas num copo de bebida. Afinal, pensamos, o álcool perturba o psiquismo e tira da mente, temporariamente, a preocupação que nos faz sofrer.
Outros fumam um cigarro após outro, numa tentativa frenética de libertar-se das idéias perturbadoras, como querendo cobri-las com a fumaça abundante.
Outros, ainda, buscam as drogas mais pesadas, capazes de anestesiar a mente e desviar o curso dos pensamentos por alguns instantes.
Alguns vão às compras tentando distrair-se. Compram, e compram mais, como se ocupando a mente com outras coisas pudessem livrar-se dos problemas.
Outros viajam, vão para bem longe, buscando na distância física a tentativa de esquecimento de seus problemas.
Se buscarmos raciocinar logicamente sobre o assunto, chegaremos à conclusão de que a fuga dos problemas, é, no mínimo, infantilidade da nossa parte.
Jamais tivemos notícia de alguém que, tendo se utilizado de um desses artifícios, tenha logrado êxito, conseguindo que os problemas se diluíssem.
Nem o álcool, nem o cigarro, nem as viagens, nem as compras, conseguem nos livrar das circunstâncias desagradáveis que necessitamos enfrentar de cara limpa e consciência lúcida.
O que pode acontecer em tais casos, é o agravamento da situação, com o nosso comportamento inconseqüente.
A melhor e mais acertada atitude, é buscar asserenar a mente para bem raciocinar e melhor agir na busca de soluções efetivas.
Quando nos comportamos como crianças rebeldes só teremos, logo mais, os problemas aguardando a solução, e mais o agravamento provocado pela nossa rebeldia.
Dessa forma, sejamos cristãos também nas horas do testemunho. Busquemos imitar o Mestre que dizemos seguir, pois Ele, mesmo sofrendo açoites e injúrias, manteve o olhar sereno e a mansuetude nos gestos, demonstrando sabedoria e lucidez diante das situações mais graves.
Nos momentos de tormentos, diante de problemas sérios, quando nos venha o impulso para a fuga, detenhamo-nos por alguns instantes.
Se a nossa confiança é ainda vacilante, peçamos ajuda ao Irmão Maior, que disse para que tomássemos o Seu fardo que é leve e que experimentássemos o Seu jugo que é suave.
Agindo assim, ainda que não consigamos a solução imediata dos nossos problemas, teremos uma certeza: não os estaremos agravando ainda mais.
Espera pelo amanhã, quando o teu dia se te apresente sombrio e apavorante.
Aguarda um pouco mais, quando tudo te empurrar ao desespero.
Confia. Pois a Divindade possui soluções que desconheces para todos os enigmas da vida.
Ama a vida e vive com amor, apesar de às vezes te sentires incompreendido, desiludido e martirizado…
Ouve a voz suave de Jesus a dizer:
Nunca estarás a sós!

Momento Espírita

Ensine o que puder para ajudar o próximo

Sempre onde passar, deixe sua marca, passe um pouco do seu brilho ao mundo. Dê o seu melhor, ensine o que sabe e que possa ajudar o próximo e pratique sempre a empatia.
Sua melhor atitude sempre será aquela que vai enaltecer sua alma, levando assim felicidade às pessoas. Isso se dá quando o bem está em ação, quando o amor explode no peito e passa a ser vivido na pele, no dia a dia, com cada atitude nobre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *